O verdadeiro início de Discovery

Enfim a USS Discovery

Context is for Kings” é o verdadeiro início de Discovery

Foi disponibilizado hoje, às 4h de Brasília, o episódio “Context is for Kings” pela Netflix. Apesar de ser o terceiro episódio da série, esse é na verdade o real piloto de Star Trek Discovery. O episódio duplo “The Vulcam Hello”/“Battle at Binary Star” serviu como um prólogo de seis meses antes dos acontecimentos da série.

Em “Context is for Kings“, temos a real estrutura de um piloto, onde os personagens são apresentados, a nave é vista em toda a sua forma e, o mais importante, qual a sua real missão.

Vemos uma Michael Burnham, sem nenhuma perspectiva na vida, por causa da culpa e consequência de seus atos, conhecendo uma nova possibilidade.

Spoiler Alert

Após o trailer do episódio, conteúdo com SPOILERS, continue por conta e risco.

Sendo transferida de uma prisão para outra, Burnham parece não se importar quando o piloto da sua nave sofre um acidente e se perde no espaço e a nave não tem chances de sobreviver. Hostilizada pelos outros presos, ela simplesmente desistiu da vida. Está entregue.

Novos e velhos conhecidos

Salvos pela USS Discovery, Burnham conhece o Capitão Gabriel Lorca (Jason Isaacs de “The OA“), que gosta de pingos e de biscoitos da sorte. Pingos são amáveis e a maioria dos humanóides se sente aproximada a eles, menos os klingons. Lorca usa os biscoitos da sorte como convite e como pílula vermelha, mostrando que é uma pessoa que está disposta a arriscar. Ele brinca com a sorte e com o desconhecido.

Conhecemos também a chefe de segurança fria e determinada da nave, a Comandante Landry (Renka Sharma de “Battlestar Galactica”); a jovem falastrona companheira de quarto de bancada de Burnham, a cadete Sylvia Tilly (Mary Wiseman de “Baskets“); o chefe de pesquisa, e pessoa que menos está feliz com a situação, Tenente Paul Stamets (Anthony Rapp de “Uma Mente Brilhante“).

Consequência de Uma Guerra

Consequência de Uma Guerra

Nem todos são novos, vemos os sobrevivente da USS Shenzhou Tenente Keyla Detmer (Emily Coutts de “A Colina Escarlate“), agora com uma prótese na cabeça e o promovido a primeiro oficial Tenente Comandante Saru (Doug Jones de “Falling Skies“).

Saru tem muita relevância no episódio por não concordar com as atitudes anteriores de Burnham e por vê-la como uma ameaça! Chega a dizer que irá proteger a todos contra ela!

Burmham Saru e Mirtilos

Burmham Saru e Mirtilos

As naves

Muito pouco foi mostrado sobre a USS Discovey. Sabemos, pela maioria da tripulação, que é uma nave de pesquisa. Mesmo havendo na nave tripulantes com insígnias pretas, seja lá o que isso signifique. Os corredores são mais claros e limpos que da USS Shenzhou e que é uma nave nova que está longe da frente de batalha na guerra com os klingons.

Mas ela não está só. Vemos sua nave irmã, a USS Glenn, nomeada em homenagem ao astronauta John Glenn. Ambas as naves estão envolvidas na mesma pesquisa. A Glenn, que parecia estar mais avançada na sua pesquisa, sofre uma falha catastrófica que mata todos à bordo de forma grotesca que não iremos reproduzir aqui.

Foi na Glenn que tivemos a sequencia de ação do episódios, na fuga de uma criatura estranha que conseguiu deixar um klingon com medo! Essa criatura é levada para a Discovery e fica aos cuidados de Lorca, que tem uma sala com crânios e esqueletos. Realmente, esse não é um capitão comum, fazendo as suas regras dentro de sua nave fora dos desejos da Frota Estelas e que não gosta de ficar na ponte comando.

Uma nova forma de voar

Stamets Conversa com Straal em Holograma Estranho

Stamets Conversa com Straal em Holograma Estranho

A missão das duas naves fica com a pesquisa de esporos de Stamets  e seu amigo Straal, retirados de seu laboratório e separados, com Straal indo para a Glenn, para usar uma rede quântica de panspermia que liga toda a estrutura do Universo, servido de transferência da vida e de transporte. A ideia do projeto seria de naves “surfar nessa rede”, cruzando um quadrante da galáxia em poucos segundos.

Vai ser bem interessante ver esse desenvolvimento da série, pois sabemos que esse tipo de transporte não é bem sucedido (se fosse, o problema da Voyager não seria um problema). Aplicado a pessoas, temos uma tecnologia de transporte quase instantâneo, como o portal iconiano da TNG/DS9.

O episódio

Capitão Lorca

Capitão Lorca

Diferente dos primeiros, “Context is for Kings” é mais detalhado e mais lento, realmente um típico piloto que mostra verdadeiramente o que a série Star Trek Discovery irá mostrar.

Ele coloca por terra muitos boatos sobre o desenvolvimento de uma arma de destruição em massa pela Federação, algo que é contra todo o cânone de Star Trek. É esse mesmo cânone que diz que as experiências a bordo da nave não terão sucesso. Se tiverem, vão rasgar tudo que conhecemos de Jornada, tirando apenas Enterprise!

Novamente a hora passa rápido assistindo ao episódio, agora é aguardar “The Butcher’s Knife Cares Not for the Lamb’s Cry para entendemos melhor os planos de Lorca.

Star Trek Discovery está disponível na Netflix desde o dia 25 de setembro às 4h, começando com os trê primeiros episódios “The Vulcam Hello”, “Battle at Binary Star” e “Context is for Kings” e o quarto “The Butcher’s Knife Cares Not for the Lamb’s Cry virá na próxima segunda e assim até encerrar os 15 episódios da temporada. Episódios disponíveis legendados ou dublados em português, ou legendados em klingon!

 

Conheça nossas redes sociais:


« (Notícia Anterior)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.